2016-01-02 20:01:32 Nilma Lacerda em "Contra os clichês"
Sobre "Contra os clichês": Banho de lucidez, óleo de riso na alma pra curar a gente da vida, que é pesada, sofrida, como os programas ruins de tevê, em citação de um dos gurus da autora. De minha parte, ri muito, rio até hoje, com referências de "Por que sou gorda, mamãe?". Porções de ridículo, talhadas de persistência e sonho (“A grande e invisível África”) nos alimentam na literatura de pé no chão que faz Moscovich, revirando a lata de lixo, a caixa de Pandora, o livro de promessas que somos e reunimos nos quantos centímetros cúbicos de carne, nervos, ossos, aspirações, revestidos com nossos nomes.
Grata, Cíntia, por sua literatura; parabéns, Lucas, pela talhada de persistência no jornalismo de alta qualidade.
Nilma Lacerda
«Voltar