Get Adobe Flash player
 

O que vai acontecer com Temer?

Fica até 2018
Sai antes
Ele e Dilma vão descobrir que se amam, lembrar os bons momentos juntos e reatar

 
 



    Palinotipo
    by Lucas Colombo e Leandro Schallenberger

    Uma crise, um papo
    13/06/2008


    Quarta-feira, 11 de junho de 2008. Véspera do Dia dos Namorados (aquele que foi inventado pelo comércio). Tempo frio no Rio Grande do Sul. Na política, porém, o negócio tá quente. Há um encontro no MSN entre Lucas Colombo e Leandro Schallenberger, em que os dois tratam de tudo-isso-que-está-acontecendo. Já que divulgar conversas está na moda aqui no estado, o MM publica o diálogo. Foi assim:

    Lucas diz: OK, tô aqui. Temos 40 min para falar mal dos políticos.

    Leandro diz: OK.

    Lucas diz: antes, uma ressalva: temos que tomar cuidado, porque atualmente está muito perigoso ter conversas secretas.

    Leandro diz: sim, temos que ser discretos.

    Lucas diz: aqui não poderemos, por exemplo, revelar que cobramos 300 bucks por nossos programas. Nem que somos muito requisitados pelas senhoras porto-alegrenses.

    Leandro diz: pois é, nunca se sabe.

    Lucas diz: nossos programas são "fontes de financiamento" do MM.

    Leandro diz: seria mais uma bomba em Porto Alegre.

    Lucas diz: mas isso a gente não pode falar. Vamos nos ater aos fatos do noticiário.

    Leandro diz: ao Feijó?

    Lucas diz: o vice? Pode ser.

    Leandro diz: ou à Dilma.

    Lucas diz: a Dilma é a Diva do presidente.

    Leandro diz: sim, a Dilma... Será que a Denise Abreu vai continuar torpedeando a ministra?

    Lucas diz: qual Denise, aquela do charuto? Deixa pra lá. Olha só: os deputados acabaram de aprovar a CPMF 2, digo, a CSS. Mas ainda falta aprovação no Senado.

    Leandro diz: aprovaram, é?

    Lucas diz: CPMF - O Retorno.

    Leandro diz: no Senado será mais difícil.

    Lucas diz: sim, lá o governo não tem maioria folgada.

    Leandro diz: lá tem o Sarney.

    Lucas diz: sabia que o Sarney é escritor também? Quer dizer, ele tenta ser.

    Leandro diz: sim, faz parte da Academia.

    Lucas diz: tem um livro chamado "Marimbondos de Fogo". Dá pra acreditar num título desses?

    Leandro diz: dá, Lucas!

    Lucas diz: bom, se o Paulo Coelho faz parte da ABL, por que não o Sarney?

    Leandro diz: o Coelho é outro fenômeno sexual. Até no cemitério o cara andou mostrando seus dotes sexuais. Mas foi rapidinha, segundo ele. Tá na biografia.

    Lucas diz: ah, na biografia aquela que saiu agora?

    Leandro diz: sim. Também consta a info de que ele fez sexo na frente de uma cadeirante surda-muda. Sério.

    Lucas diz: por que ele não conta isso nos livros dele? Vai vender mais ainda. Ah! Uma vez ele ensinou como se faz pra ficar invisível: basta virar seus dedos polegares para trás. Os dos pés e os das mãos. Facinho. Só que eu tentei e não consegui. Vou processá-lo.

    Leandro diz: é que tu tens que ter fé e acreditar.

    Lucas diz: foi o que me disseram.

    Leandro diz: na biografia, consta também que ele teve casos homossexuais.

    Lucas diz: ah, rolou isso também?

    Leandro diz: sim, mas ele disse que a opção dele é hetero. Esse livro vai vender muito. Até o Edir Macedo vai ficar a ver navios na venda de biografias. O título da biografia do Coelho passará a ser "Passei o Edir Macedo e o Rubinho".

    Lucas diz: sabia que o Rubinho tem um adesivo da campanha da RBS colado no carro dele? "Correr é o fim".

    Leandro diz: sim, mas, segundo o Galvão, ele chega lá.

    Lucas diz: segundo o Galvão, qualquer esportista brasileiro sempre chegará em qualquer lugar. Mas vamos falar da Yeda. Como vai terminar essa CPI do Detran? Em pizza sabor churrasco?

    Leandro diz: o circo por aqui não será diferente do que acontece na esfera federal. Mas prepare-se: o Feijó disse que tem mais fitas vindo aí.

    Lucas diz: a tática do Feijó é a mesma do índio Juruna. Grava tudo.

    Leandro diz: sim, eles possuem métodos parecidos.

    Lucas diz: conforme o Busatto, o Feijó é "antiético", "mau-caráter" e "golpista". Nossa!

    Leandro diz: o Busatto se exaltou na CPI. Discutiu com a deputada Stela.

    Lucas diz: e deu uma explicação muito capenga para o que afirmou na gravação. O dízimo que os CCs pagam aos partidos não dá pra financiar uma campanha.

    Leandro diz: como o Feijó falou, o financiamento de campanhas através de estatais era de conhecimento público.

    Lucas diz: mas o Busatto falou que se referia aos CCs, claro. Magina... Essa gente pensa muita maldade! Claro que ele se referia aos CCs.

    Leandro diz: sim, CC = Casa Civil.

    Lucas diz: nunca si viu.

    Leandro diz: parece que há uma nova versão para o tal do CC: patrocínio da Coca-Cola.

    Lucas diz: achei que fosse sigla de Corrupção Completa.

    Leandro diz: sempre essas multinacionais...

    Lucas diz: essas multinacionais... chama o PSTU!

    Leandro diz: e o PSOL.

    Lucas diz: falando nele, a Luciana Genro já pediu impeachment da Yeda.

    Leandro diz: sim, e também do Tarso.

    Lucas diz: hahaha. Problema é que ele sempre será pai dela. E ela não pode renunciar à condição de filha.

    Leandro diz: os churrascos de família no final de semana não foram afetados pelas posições políticas dos dois.

    Lucas diz: sim, só que eles devem ficar o almoço inteiro mudos. Se ele falar 'me passa a salada', a Luciana já protesta.

    Leandro diz: parece que o Feijó e a Luciana estão amigáveis nas suas relações políticas.

    Lucas diz: sim, eles se encontraram, mas não se deixaram fotografar juntos, para não parecer que ele também quer o impeachment. Mas não vai rolar impeachment. Só rola se o governante tiver mais da metade do mandato concluído. Se a governadora e o vice forem impedidos por algum motivo agora, com apenas um ano e meio de governo, são convocadas novas eleições.

    Leandro diz: sim, impeachment é história para discurso de oposição.

    Lucas diz: mas a Yeda criou um gabinete de transição (tecla SAP: operação salvamento).

    Leandro diz: e o trânsito está engarrafado em frente ao palácio. Protestos.

    Lucas diz: viu ontem? O MST destruiu um laboratório de pesquisa no nordeste. Anos de estudo.

    Leandro diz: isto só atrapalha a causa agrária. E o Lula não faz nada. É um governo SS: Sem Sal. Como o Alckmin.

    Lucas diz: Sem Sal e sem alimentos, pelo visto. Porque o preço tá pela hora da morte. Inflação batendo à porta.

    Leandro diz: e o sal também entrou na festa da inflação alta.

    Lucas diz: mas o povo só tá interessado no filho do Kaká. Enquanto o povo se distrai, os caras desviam 44 milhões do Detran.

    Leandro diz: não creio que sejam apenas 44 milhões. Esta festa gerou mais do que muita gente imagina. Mas uma coisa é certa: isto tudo está servindo de lição para muitos gaúchos bairristas.

    Lucas diz: gaúcho se acha o povo mais politizado do Brasil. Rá!

    Leandro diz: pois é. Não há nada diferente aqui no RS. Acontece o mesmo que nos outros estados.

    Lucas diz: nossas façanhas servem de modelo a toda a Terra.

    Leandro diz: veja bem a gravidade dos fatos: o coronel da Brigada Militar é afastado por possível recebimento ilegal de diárias. O chefe da Casa Civil é afastado. O presidente do Tribunal de Contas é investigado. O que mais falta?

    Lucas diz: falta essa gente tomar vergonha na cara.

    Leandro diz: e o trânsito, hein? Porto Alegre está próxima do caos de São Paulo.

    Lucas diz: é, com vários engarrafamentos relaxantes. A verdade é que não cabem mais carros nas ruas. Com a classe C consumindo como agora, isto só tende a piorar.

    Leandro diz: sim, eu quero ver este povo pagar o carro financiado em 60 vezes. Será como no caos imobiliário americano.

    Lucas diz: poderia haver mais investimento em transporte público no Brasil, para o povo deixar o carro em casa. Mas andar de ônibus é ruim aqui. E dirigir é bom. Ficar sem prazer na vida também não dá, né?

    Leandro diz: sabia que Porto Alegre possui um projeto de ampliar o Trensurb há mais de 10 anos?

    Lucas diz: sabia. Metrô para os diferentes bairros. Seria ótimo, porque, além de tudo, é transporte não-poluente.

    Leandro diz: não é possível uma cidade que está condenada a parar seu trânsito com congestionamentos não ter uma linha de trem.

    Lucas diz: mas provavelmente demorará mais uns dez anos para o projeto sair. Esquece.

    Leandro diz: mas e o Paulo?

    Lucas diz: que Paulo? O Maluf?

    Leandro diz: não, o Paulinho. Aquele da Força.

    Lucas diz: ah, ele. Tá mal. Quanto ao Maluf, será candidato a prefeito em Sampa, de novo. Morri, depois dessa.

    Leandro diz: e o Clodovil?

    Lucas diz: tá meio apagado no Congresso, né? Era tão divertido vê-lo chamando as deputadas de feias...

    Leandro diz: é que o ego dele não está com problemas. Quando baixar a auto-estima, ele volta com tudo.

    Lucas diz: é, talvez.

    Leandro diz: ontem quase briguei com minha namorada por causa do Sex and the City.

    Lucas diz: eu não agüento o Sex and the City.

    Leandro diz: nem eu.

    Lucas diz: muita futilidade.

    Leandro diz: virou filme.

    Lucas diz: é. Daqueles que não verei.

    Leandro diz: voltando à política: acho que vou começar a não votar mais, por protesto. Dizem que não dá nada. É só pagar uma multa irrisória.

    Lucas diz: Leandro, é só sair da cidade e justificar!

    Leandro diz: também.

    Lucas diz: mas eu não defendo a implantação do voto facultativo no Brasil. Pelo menos não por enquanto. É um direito cívico não votar, mas o brasileiro não é politizado. Então, pelo menos em tempos de eleição ele discute um pouco o assunto. Um pouco.

    Leandro diz: Lucas, o problema não é o voto, mas em quem se vota.

    Lucas diz: só nos resta tirar sarro dessa gente. Por todo o sempre.

    Leandro diz: Amém.

    Lucas diz: 'Amém' não, que sou ateu.

    Leandro diz: perdão.

    Lucas diz: quando estourar um novo escândalo, a gente se fala de novo. Fique tranqüilo, vivemos no Brasil, isso não vai demorar.

    Leandro diz: verdade. Até logo, então.

    Lucas diz: até.


    leandro.s@minimomultiplo.com

    lucas.colombo@minimomultiplo.com




    Mais Leandro Schallenberger
    Bolsa-Ditadura - 27/05/2008
    A mordaça da fé - 08/05/2008
    Por um jornalismo cultural menos pobre - 23/04/2008



    Comentários dos leitores


    Estou rindo até agora! Muito boa a conversa: bem-informada e engraçada. Só nos resta mesmo tirar sarro desses safados. Ivan Rodrigues