Get Adobe Flash player
 

O que vai acontecer com Temer?

Fica até 2018
Sai antes
Ele e Dilma vão descobrir que se amam, lembrar os bons momentos juntos e reatar

 
 



    Enquadramentos

    Bolívia: natureza-sociedade
    Leonardo Fleck
    15/02/2011


    Sou biólogo de formação e fotógrafo amador autodidata. Trabalho como professor universitário e pesquisador em uma organização ambiental chamada Conservação Estratégica, o que tem permitido concentrar meu trabalho como fotógrafo no tema que mais gosto: a natureza, especialmente de lugares remotos.

    A natureza me fascina desde criança, tal como uma obra de arte perfeita, de finos detalhes e de enormes proporções, esculpida por bilhões de anos de evolução. Para senti-la um pouco, nada melhor do que experimentar lugares inóspitos, onde ela se mostra exuberante e onde acabamos, também, sentindo a essência de nós mesmos.

    Este ensaio é sobre a interface natureza-sociedade em um país vizinho que tenho visitado com certa regularidade nos últimos seis anos e cujas beleza, diversidade e cordialidade me agradam muito: a Bolívia. Inicio com fotografias das montanhas andinas. Condoriri retrata um nevado localizado no topo da Cordilheira, próximo à capital La Paz, e também suas águas de degelo, importantes para o abastecimento de populações à jusante. Falcão María mostra uma espécie conspícua, frequente e muito bem adaptada a essa paisagem. E Chacaltaya refere-se ao que até pouco era considerada a estação de esqui mais alta do mundo, a 5,3 mil metros de altitude, mas que, em função das mudanças climáticas, mal consegue manter alguma quantidade de neve no inverno. Passando para a região do Lago Titicaca, Tiwanaku traz as ruínas de uma das mais interessantes civilizações pré-colombianas, que sucumbiu devido a problemas ambientais. Totora apresenta um feixe da planta nativa da margem do Lago (planta e lago ao fundo da imagem), utilizada para construir embarcações e, sim, ilhas flutuantes! Uma dessas embarcações aparece em Titicaca, igualmente às margens do lago. Dentro dele, inclusive, há uma ilha chamada Isla del Sol, em que encontrei a bela Menina aimará, trajada tipicamente, e as antigas e encantadoras Ruínas incas. Para terminar, uma Bromélia vislumbra as formações rochosas que lembram vulcões e dão nome ao Parque Nacional Los Volcanes, na região de Santa Cruz de la Sierra, no sopé dos Andes.

    Mais fotos minhas podem ser conferidas no Flickr. Até a próxima.


    Condoriri
    Falcão María
    Chacaltaya
    Tiwanaku
    Totora
    Titicaca
    Menina aimará
    Ruínas incas
    Bromélia